11 de abril

Está Ficando Tarde

Assim, vocês também precisam estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam. Mateus 24:44, NVI.

Meu pai gostava de nos fazer lembrar: "A cada minuto está ficando mais tarde." Quando Jesus nos diz que devemos "estar preparados, porque o Filho do homem virá numa hora em que" menos esperamos, está expressando preocupação com o nosso preparo para o Seu retorno a qualquer minuto.

A revista Signs of the Times publicou um artigo intitulado: "Como Você Acerta Seu Relógio Para o Tempo do Fim?" (abril de 1994). Numa carta ao editor (julho de 1994), uma leitora respondeu: "Atribuir muita importância ao fim do mundo rouba dos indivíduos a compreensão de que eles só têm o seu período de vida no qual atingir metas para esta vida e a futura. O fim real é quando uma pessoa entrega o fôlego de vida. E isso pode ser qualquer dia." – Joy Churchward, Lincoln, Califórnia.

O fim do tempo para nós pode vir por ocasião de nossa morte ou da segunda vinda de Jesus. Está mesmo ficando mais tarde a cada minuto. A cada minuto estamos um passo mais perto de ouvir a voz de Jesus chamar-nos para fora deste mundo caótico e mergulhado no pecado. E isso é uma boa notícia! Se a convocação for para erguermos os olhos ao céu para vê-Lo chegando nas nuvens de glória, ou fechar os olhos no sono até Jesus retornar, o resultado será o mesmo: "o Filho do homem virá numa hora em que vocês menos esperam".

Pense nas coisas das quais Jesus nos livrará quando aparecer para nós: Sentimentos de incapacidade. Dores lancinantes, sensação de cansaço, depressão porque vivemos num mundo caótico, ansiedade relacionada com um futuro desconhecido, medo do crime que se alastra, a ameaça da perda de emprego. E a lista poderia continuar. Inclui tudo o que é frustrante, desagradável, ofensivo ou repulsivo.

Por outro lado, imagine o que Jesus nos concederá também. Tente visualizar o lugar que Ele está preparando para nós. Será além de nossas mais caras esperanças ou nossos mais ousados sonhos – e o melhor de tudo é que Jesus estará lá conosco.

Regozijemo-nos hoje com a boa notícia de que está ficando mais tarde a cada minuto, de que Jesus está voltando para nós em breve. Pode ser hoje! – DRG


12 de abril

"História Verídica?"

Salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-Se. É rei de Israel! Desça da cruz, e creremos nEle. Mateus 27:42.

Enquanto o Dr. Charles Goodell pregava para sua congregação em Nova Iorque, um homem se pôs em pé e, com voz estridente, perguntou: "Sabe, senhor, eu sou um homem mau. Acabo de sair da penitenciária. Fiz tudo o que disseram que eu fiz e um bocado de coisas que eles nunca descobriram. Estou escutando o que o senhor tem a dizer acerca dessa pessoa chamada Jesus, de como Ele pode tomar um cara e torná-lo limpo e decente, e quero saber: Essa história é verídica ou o senhor está inventando isso enquanto fala?" O homem não era louco ou bêbado, mas falava com desesperada seriedade.

"Bem, meu senhor", respondeu o pastor, "essa é uma história verídica; não a estou inventando." Goodell levou o homem a Jesus, que transformou a vida dele.

A história da cruz realmente parece boa demais para ser verdade. Blasfemos passaram por ali, balançando a cabeça, e os chefes dos sacerdotes também zombaram de Jesus dizendo: "Salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-Se." Como Jesus não desceu da cruz, recusaram-se a aceitar o que Ele havia ensinado. Os escarnecedores continuaram: "Ele não é o Rei de Israel? Se descer agora mesmo da cruz, nós acreditaremos nEle!", (BLH).

Jesus alegava ser, e era, o esperado Messias. As autoridades O sentenciaram à morte com criminosos comuns. Identificaram-nO com os ímpios, numa tentativa de neutralizar a poderosa influência de Sua vida imaculada. Os romanos O crucificaram entre dois ladrões. Todos os Seus inimigos relacionaram uma pessoa que era santa com os pecadores, uma pessoa justa com os injustos.

Com escárnio, aqueles que se encontravam ao pé da cruz desafiavam: "Salvou os outros, a Si mesmo não pode salvar-Se." Nunca se pronunciaram palavras mais verdadeiras. Jesus não poderia salvar-nos da perda eterna e ao mesmo tempo escapar do sofrimento e da morte. Devia morrer pelos perdidos se quisesse salvá-los. A Sua morte era a vida deles, pois lhes tomou o lugar e morreu por seus pecados – por nossos pecados. Dessa forma não poderia salvar-Se a Si mesmo e a nós também. Morreu por causa do Seu amor por homens e mulheres, meninos e meninas perdidos, e nós podemos ser eternamente gratos porque Ele escolheu sofrer por nós. – HMSR


13 de abril

Contagem Regressiva

Tendo-o provado, Jesus disse: "Está consumado!" Com isso, curvou a cabeça e entregou o espírito. João 19:30, NVI.

"A postos... 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, 1, 0 – Lançamento!" Uma contagem regressiva no Cabo Canaveral tornou-se tão rotineira que raramente aparece no noticiário da noite. Outra contagem regressiva ocorreu há dois mil anos. Envolvendo o Universo inteiro, foi dirigida não por algum comandante de uma nave moderna, mas pelo Capitão de nossa salvação, Jesus Cristo. O local não foi o Cabo Canaveral, mas o ponto culminante de toda a História – a cruz do Calvário... 3... 2.... 1... Vitória! "Está consumado!" A notícia do divino ato de sacrifício de Cristo pela raça humana reverberou por todo o Universo.

A morte de Cristo no Calvário reconciliou Deus com a humanidade, pois estavam separados pelo pecado. O povo da Galiléia sabia de que João Batista estava falando, quando ele se referiu a Jesus desta maneira: "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!" João 1:29. Na morte de Cristo por nossos pecados, Ele Se colocou no lugar do pecador culpado. Ele morreu minha morte para que eu vivesse a Sua vida! A cruz significava muito para o apóstolo Paulo. Quando outros lhe perguntavam qual era a sua mensagem, respondia: "Nós pregamos a Cristo crucificado." I Cor. 1:23.

Hoje muitos se esquecem do maior evento de toda a História – a contagem regressiva da cruz! Muitos estão em busca de panacéias produzidas por homens ou de sabedoria e felicidade nas filosofias da Nova Era. A humanidade hoje luta com os mesmos problemas filosóficos que preocupavam Platão e Aristóteles. Mas simplesmente não existe escape do problema do pecado a não ser a cruz. É nossa única esperança. Junto à cruz, encontramos a justiça de Deus perfeitamente manifestada, a misericórdia de Deus maravilhosamente estendida ao pecador.

Jesus morreu para que você e eu pudéssemos viver. "Com Seus próprios méritos, Cristo estabeleceu uma ponte através do abismo que o pecado havia cavado, de modo que os anjos podem manter comunicação com o ser humano. Cristo une o homem caído, em sua fraqueza e desamparo, à Fonte do poder sem limites." – Caminho a Cristo, pág. 20. Hoje, quando os cristãos ao redor do mundo olham mais uma vez para a cruz, que a contagem regressiva de Cristo para a eternidade tome conta de nossa vida! – HMSR


14 de abril

Os Dois Repousos de Jesus

Assim, ainda resta um descanso sabático para o povo de Deus. Hebreus 4:9, NVI.

Algum tempo atrás, desfrutamos o almoço e o companheirismo de sábado na casa de nossos amigos Doyle e Paulene Barnett. Quando Palmer Wick levantou seu prato para que lhe fosse servida a entrada, ele disse: "Vejam, descobri um segredo embaixo do meu prato." Doyle havia datilografado uma pergunta para cada um de nós, seguida por uma citação de Ellen White, dando a resposta. Depois da sobremesa, ele pediu que cada um lesse a tira de papel sob o prato e fizesse um comentário. Foi uma forma interessante de guiar a conversa para tópicos de sábado! O sábado se tornou muito especial, porque entramos no espírito do repouso sabático.

Depois de criar o mundo em seis dias, nosso Criador repousou no sábado e o estabeleceu como dia de repouso para que Lhe desfrutássemos a criação. Milhares de anos mais tarde, depois de garantir-nos vida nova na cruz, nosso Redentor repousou novamente no sábado, no sepulcro novo de José, e estabeleceu o repouso da salvação como uma celebração diária de nossa salvação. O livro de Hebreus delineia os dois repousos de Jesus – o descanso sabático e o descanso da salvação – e os une em Hebreus 4.

A expressão descanso sabático aparece uma vez só no Novo Testamento, em Hebreus 4:9 (NVI). Quão significativo deve ter sido para aqueles que receberam o livro de Hebreus ler que "ainda resta um descanso sabático [do grego, sabbatismos] para o povo de Deus". Hebreus lhes dizia que o descanso sabático está alicerçado no repouso de Deus depois da criação deste mundo. "No sétimo dia Deus descansou [do grego, katapauomai] de toda obra que realizara." Verso 4, NVI. O descanso de Deus foi o companheirismo de um dia inteiro com Adão e Eva. Imagine só: eles tinham apenas um dia de idade, seu mundo era novo e fresquinho, e seu Criador ali estava para dar vida a tudo!

Aqueles que ouviram o evangelho, ajoelharam-se aos pés da cruz e creram, entram num descanso que está intimamente relacionado com o repouso sabático: o descanso da salvação (katapausis no grego; versos 2 e 3). Experimentamos o genuíno descanso apenas quando deixamos de tentar conquistar a salvação e repousamos na obra concluída de Cristo na cruz, colocando plena confiança nEle em cada momento de cada dia. Por que não evitar a exaustão espiritual, confiando em Jesus e entrando em Seu descanso? – DRG


15 de abril

"Vocês Conseguem!"

Por Minha causa vocês serão levados à presença de governadores e reis como testemunhas a eles e aos gentios. Mateus 10:18, NVI.

O Quarteto The King's Heralds e eu estávamos num aeroporto africano, à espera de nosso avião. Tínhamos um encontro com o rei de Benin. Um grupo enorme de pessoas estava na fila conosco, aguardando, quando um funcionário do aeroporto veio e nos disse: "Atenção, por favor. O vôo de hoje foi cancelado." Depois que a multidão se espalhou, adiantei-me para falar com o homem.

– Temos o compromisso de comparecer perante o rei de Benin. Como o senhor sabe, se um rei pede que você esteja lá, é melhor que você esteja. Existe algum outro vôo?

– Não – respondeu ele – nenhum avião até amanhã.

– Existe algum avião particular, trem ou algum outro transporte que possamos tomar? – Enquanto eu falava com ele, um outro homem a um canto balançou a cabeça, sorriu e disse: – O senhor vai conseguir.

– Espero mesmo que sim – eu disse.

Várias vezes os membros do quarteto me pediram que fosse falar com o funcionário de novo. Todas as vezes, o homem no canto dizia: "Vocês vão conseguir." Finalmente, o quarteto insistiu para que eu fosse lá só mais uma vez.

– Lamento incomodá-lo de novo – disse eu. – Meus amigos querem que lhe pergunte uma vez mais.

– Sinto muito, mas não há nenhum avião até amanhã de manhã. Por favor, não me pergunte de novo.

Nesse momento o telefone tocou. "Aqui, aeroporto. British Airways? Que horário? Vocês têm cinco assentos disponíveis? Muito obrigado." O funcionário se virou para mim. "Vocês têm sorte", disse ele. "A British Airways estará chegando dentro de uma hora. Eles têm cinco assentos."

Quando subimos os degraus para embarcar no avião, o senhor do cantinho estava com as mãos cruzadas. Com um sorriso satisfeito no rosto, observou: "Eu disse que vocês conseguiriam." Não sabíamos quem ele era, mas tínhamos uma idéia. Afinal de contas, foi o próprio Jesus quem prometeu a Seus mensageiros: "Por Minha causa vocês serão levados à presença de governadores e reis como testemunhas a eles e aos gentios." Em cada dilema, em cada desafio que enfrentamos, nosso amorável Salvador está perto. E está à sua disposição hoje! – HMSR


16 de abril

A Certeza da Ressurreição de Jesus

Digam que os discípulos dEle vieram de noite, quando vocês estavam dormindo, e roubaram o corpo. Mateus 28:13, BLH.

"Um homem rico chamado José, da cidade de Arimatéia" colocou o corpo de Jesus "no seu próprio túmulo, que havia sido cavado há pouco tempo na rocha." Mat. 27:57 e 60, BLH. Jesus dormiu onde nenhum ser humano havia descansado antes. Ninguém poderia alegar que algum antigo profeta havia sido enterrado ali, e que Cristo ressuscitou porque havia tocado os ossos do profeta. (Lembra-se do local de sepultamento de Eliseu? Quando alguém sepultou apressadamente um homem ali, o corpo tocou os ossos do profeta e voltou à vida [II Reis 13:20 e 21].) Cristo não tocou os ossos de nenhum profeta, pois ninguém havia sido sepultado ali. O Monarca da Terra descansou num sepulcro novo durante aquele período.

Observe também que essa tumba foi escavada na rocha. Por quê? A Rocha dos Séculos foi sepultada na rocha. Era impossível que alguém roubasse o Seu corpo, com a grande pedra selada na porta e os guardas vigiando. Não simboliza isso o fato de que meus pecados rolaram dos meus ombros para dentro de Sua tumba – sepultados para sempre, sem possibilidade de ressurreição?

Ao considerarmos reverentemente essas coisas, abaixe-se e olhe comigo para dentro do sepulcro. Note a veste dobrada e colocada a um lado. Os inimigos disseram que o corpo havia sido roubado. Com certeza, os ladrões não teriam parado para dobrar a mortalha de maneira tão caprichosa. Com a pressa de sair correndo, eles nunca teriam pensado numa coisa dessas. Por que foi feito isso? Sem dúvida para demonstrar-nos que Cristo não saiu de maneira apressada. Ele não veio "apressadamente, nem ... fugindo" (Isa. 52:12).

Quando Maria Madalena chegou à tumba, chorou de maneira tão sentida, que não percebeu a presença de Jesus, achando que era o jardineiro. Ao pensarmos nessas imagens proclamando a certeza da ressurreição de Jesus, parece-me que nós também deveríamos aproximar-nos do sepulcro com as emoções profundamente tocadas e a fé grandemente fortalecida. Deveríamos hoje achegar-nos àquele sepulcro vazio fazendo uma entrega completa. – HMSR


17 de abril

O Terno Coração de Jesus

E Eu, o Rei, lhes direi: "Quando vocês fizeram isso ao menor destes Meus irmãos, estavam fazendo a Mim!" Mateus 25:40, A Bíblia Viva.

Certa vez, enquanto eu dirigia na auto-estrada e esperava ouvir notícias sobre o trânsito pelo rádio, o locutor relatou um incidente incrível. Um ladrão havia entrado na loja Sears na noite anterior. Empilhou vários equipamentos eletrônicos do lado de fora, ao lado do seu carro. Quando entrou para buscar mais, notou as camas e deitou para relaxar. Quando a polícia entrou, ele disse: "Estava tão quentinho e confortável aqui, que eu simplesmente não conseguia sair."

Seu comentário foi uma acusação contra a sociedade! Quantos transgressores da lei se vêem conduzidos ao crime pela simples necessidade de se aquecer e ter um lugar onde dormir? Não é surpresa o fato de Jesus ter dado tanta ênfase sobre a ajuda aos párias e rejeitados. Ele disse à multidão que O rodeava: "Toda vez que vocês praticarem uma boa ação para um desses mais insignificantes irmãos Meus, estão praticando uma boa ação para comigo." "Quando senti fome, vocês me deram algo para comer, quando senti sede, vocês me deram algo para beber, quando era estrangeiro, vocês me receberam bem na sua casa, quando precisei de roupas, vocês as vestiram em Mim, quando fiquei doente, cuidaram de Mim, quando estive na prisão, foram ver-me." Mat. 25:35 e 36, versão Williams.

Quando certa vez reclamei a uma milionária sobre o desejo dos congressistas de reduzir os impostos sobre os ricos e cortar programas que afetavam os menos privilegiados, ela retorquiu: "Nós conquistamos o nosso dinheiro." Todos nós conquistamos qualquer dinheiro que temos, mas porventura nascemos todos iguais – com os mesmos talentos, o mesmo QI, as mesmas oportunidades, a mesma energia física, o mesmo ambiente, os mesmos pais amorosos e solícitos? Se todos nascemos em pé de igualdade, essa atitude pode ser aceitável. Mas não nascemos todos iguais.

A boa notícia acerca de Jesus é que Ele Se importa com as pessoas – todo tipo de pessoas. Pessoas desprezadas. Pessoas que sentem frio e fome. Até pessoas levadas ao crime por falta de uma cama quentinha e confortável. E Ele quer desesperadamente ir além das necessidades temporais para entrar no coração daqueles a quem ama, dando-lhes alegria sem paralelo e vida eterna. Qual é o seu mais profundo desejo em relação com as pessoas pelas quais você passa cada dia? – DRG


RETORNAR