Lição 4

17 a 24 de janeiro


A graça é inclusiva

Lição 412004 - A graça é inclusiva


Sábado à tarde

Ano Bíblico: Êxo. 1–4

VERSO PARA MEMORIZAR: "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigênito, para que todo o que nEle crê não pereça, mas tenha a vida eterna" (João 3:16).

Leitura da semana: João 2:23–4:42.

PENSAMENTO-CHAVE: A graça de Deus, manifestada na cruz, não tem favoritos. "Todo o que nEle crer" achará vida em Jesus Cristo.

A GRAÇA É INCLUSIVA. Em João, capítulos 3 e 4, encontramos duas parábolas vivas nas histórias de Nicodemos e da mulher samaritana. Jesus encontrou duas pessoas que eram tão diferentes quanto pareciam. Mesmo sendo diferentes em raça, religião, reputação, gênero, riqueza, local e comportamento, os dois encontraram Jesus longe das multidões. Os dois acharam o encontro desconcertante e transformador.

Nestas duas histórias vemos parábolas vivas que desenvolvem a promessa de João 3:16, talvez o texto mais amado na Bíblia. Deus tanto amou o mundo que deu o Seu amado Filho para que "todo aquele" que crer não pereça mas tenha a vida eterna. Em Nicodemos e na mulher samaritana, vemos ilustrados os extremos opostos desse "todo aquele". Deus não tem favoritos (cf. Atos 10:34 e 35). Não importa quem você é, não importa o que você fez, não importa qual é a sua genealogia, não importa como os outros tratam você, Jesus exibe uma gloriosa falta de preconceito. Ele é verdadeiramente o "Salvador do mundo" (João 4:42).


Domingo

Ano Bíblico: Êxo. 5–8

Quando os milagres não são suficientes – João 2:23-25

1. Por que motivo muitos na festa da Páscoa chegaram a ter "fé" em Jesus? João 2:23.

Palavras como podem ser usadas com mais de um sentido no Evangelho de João. pode se referir à fé em Jesus que salva. Os discípulos tiveram essa fé depois que Ele transformou a água em vinho em Caná (João 2:11). Os mesmos discípulos chegaram a uma fé muito mais profunda e mais duradoura depois da Cruz (João 2:22) e o derramamento do Espírito Santo (João 7:39).

Mas, em João 2:23-25 e outras partes, vemos outro tipo de fé: a fé inadequada ou superficial, baseada em milagres, mas que não conduz a um relacionamento de salvação com Jesus. Em João 2:23-25 Jesus enxerga através da profissão de fé de alguns e percebe seus reais motivos.

2. Como resultado de Seus milagres, muitos creram em Jesus. Mas os milagres são suficientes para alguém ter uma fé salvadora nEle? Veja também Lucas 16:31. Explique sua resposta.

Às vezes, as pessoas acham que se pudessem ver milagres, teriam mais fé. Mas os milagres não são curas para a fé superficial; podem até atrapalhar a fé verdadeira, tornando difícil perceber os aspectos mais profundos de uma relação com Jesus.

Mesmo com todos os milagres que Jesus operou ao longo de Seu ministério, muitos ainda recusaram aceitá-Lo, e muitos se afastaram quando viram que Ele não iria fazer tudo o que esperavam que Ele fizesse. (Veja João 6:51-66 e Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, "A Crise na Galiléia".) O que devemos aprender é que enquanto a experiência pessoal com Jesus é importantíssima para uma fé que salva, a fé precisa ir além da mera experiência; precisa estar arraigada em um conhecimento vivo de quem somos, qual é a nossa condição e o que Cristo fez a fim de nos poupar do destino que de outra forma nos esperaria


Segunda

Ano Bíblico: Êxo. 9–11

Ele veio de noite – João 3:1-21

No Evangelho de João, as narrativas se tornam parábolas vivas das realidades espirituais oferecidas por Jesus. Em Nicodemos ("testemunha ocular da cena da expulsão dos vendedores e compradores por Jesus". – Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, pág. 168), vemos o exemplo vivo de uma pessoa que, embora fosse um líder religioso altamente estimado, tinha fé inadequada.

3. Em que base Nicodemos considerava Jesus um Mestre vindo de Deus? João 3:2; João 2:23-25.

Quando Nicodemos disse "sabemos", estava representando os que na passagem anterior (João 2:23-25) viram o que Jesus fez no templo mas tiveram fé inadequada como resultado. "Suas palavras [de Nicodemos] visavam exprimir e despertar confiança; na realidade, porém, exprimiam incredulidade."O Desejado de Todas as Nações, pág. 168.

A palavra grega para "noite", neste verso, vem em uma forma que não enfatiza tanto a parte escura do dia, mas a qualidade da escuridão, a escuridão no coração de Nicodemos no momento em que veio a Jesus. Ele viu o que Jesus havia feito no templo, mas não percebia a verdade sobre Jesus, que Ele é a Palavra em carne.

4. Por que a resposta de Nicodemos revela quão pouco esse líder religioso conhecia das importantes verdades espirituais? João 3:3-10.

Esta história mostra Jesus lendo o coração de outro ser humano (veja João 2:25). Nicodemos não podia esconder a ignorância espiritual por trás da fachada de religiosidade, de formas e costumes, pelo menos de Jesus.

Na história de Nicodemos, João continua os temas enfatizados no capítulo 2. Jesus substituiu as idéias religiosas de Nicodemos pela verdade sobre o novo nascimento, tendo a cruz como o fundamento para tudo o que Jesus oferecia. Não se pode entrar no reino de Deus pelo nascimento físico mas por uma decisão pessoal que todos, mesmo um líder dos judeus, como Nicodemos, têm que tomar.


Terça

Ano Bíblico: Êxo. 12 e 13

O novo nascimento – João 3:3-8

O nome de Nicodemos pode ser traduzido como "líder do povo". Sem dúvida, Ele era um homem piedoso, um exemplo do melhor que o judaísmo podia oferecer. Como fariseu, ele levava a sério a Bíblia e a sua fé. Não há dúvida de que ele teria sido um bom vizinho. A resposta de Jesus a esse bom homem, fiel e piedoso, é um pouco surpreendente.

5. O que até os "bons" e piedosos precisam ter a fim de entrar no reino de Deus? João 3:3 e 5. O que significa "nascer de novo"?

Se Nicodemos tivesse feito parte da delegação de fariseus que questionaram João Batista (João 1:24-28), ele teria sabido da afirmação de João de que o batismo pela água anunciava a vinda dAquele que era maior do que João – o Messias. Por melhor e mais bondoso que fosse Nicodemos, ele precisava de um novo nascimento que só poderia vir do Messias pelo batismo e pelo trabalho do Espírito Santo

A água e o Espírito estão muito relacionados nos ensinos de Jesus (João 4:10-14, 23 e 24; 7:37-39). E o conceito de nascer "de cima" está relacionado com o ministério de João em João 3:22-36. Então, a declaração de Jesus aqui sugere a necessidade de um duplo batismo, um externo, pela água, e um interno, pelo Espírito Santo.

6. Por que é inútil tentar salvar a nós mesmos? João 3:6-8. Leia também Isa. 25:9; Tito 3:5; Heb. 9:12.

Em uma lição anterior, vimos que só a experiência (como testemunhar milagres) não é suficiente para se ter uma fé que salva. Mas as palavras de Cristo a Nicodemos mostram ao mesmo tempo que a experiência é crucial para o cristão. Na verdade, um novo nascimento é uma experiência. Jesus está dizendo a Nicodemos, e a nós, que um conhecimento correto de formas, costumes e até da doutrina, não é suficiente. Precisamos experimentar, pessoalmente, Seu poder salvador em nossa vida.

Se alguém lhe perguntasse: Você nasceu de novo? O que você responderia? E se a resposta for Sim, que evidência você tem para dizer isso?


Quarta

Ano Bíblico: Êxo. 14 e 15

Ela veio de dia – João 4:1-42

7. Leia a toda a história de Jesus com a mulher junto ao poço, e então responda a estas perguntas:

a. Como a mulher reagiu a Jesus a princípio? João 4:9, 11 e 12.

b. O que levou a mulher a crer que Jesus era um profeta? João 4:17-19 e 29.

Ponha-se no lugar dessa mulher: aqui estava esse estranho, de outra religião, que depressa revelou que conhecia alguns de seus segredos pessoais mais bem guardados. Não admira que ela tivesse uma mudança de atitude! Deste modo, não foi a presença física de Jesus que convenceu a mulher que Ele era o Messias (Sua aparência física, aparentemente, não significava nada para ela) – mas a Sua palavra. Aqui, novamente, João destaca o tema de que a palavra de Jesus é tão boa quanto o Seu toque.

8. O que Jesus tentou ensinar para a mulher? João 4:21-24.

João 4:23 e 24 faz lembrar a purificação do templo no capítulo 2. Jesus veio à Terra para restabelecer a adoração correta de Deus. Um templo localizado favorece um povo sobre outro; mas a adoração em espírito é universal. Não está atrelada a algum lugar geográfico ou povo em particular. Jesus estava destacando que o local da adoração não era tão importante quanto a atitude do adorador. Não é tanto onde adoramos como a quem adoramos.

Na história da mulher samaritana, João dá continuidade aos temas dos capítulos 2 e 3. Por um lado, Jesus conhecia tudo sobre a mulher samaritana. Ele lia o seu coração e conhecia a sua história, como também a de Nicodemos. E esse conhecimento deu à mulher a confiança para confessar. Por Sua vez, Jesus mudou a adoração da samaritana por uma fé mais adequada, em espírito e verdade.


Quinta

Ano Bíblico: Êxo.. 16 e 17

A atração dos opostos

9. Como resultado do testemunho da mulher, e como resultado de seu próprio encontro com Jesus, o que os samaritanos passaram a crer sobre Jesus? João 4:42. O que levou essas pessoas a crerem em Jesus?

"Salvador do mundo" significa que a salvação não estava mais restrita por considerações étnicas ou geográficas. Em Jesus, todos os povos, inclusive grupos menosprezados como os samaritanos, podem clamar pela plenitude do favor de Deus. Para os desprezados e rejeitados, este tipo de salvação era uma surpresa grande e bem-vinda. Para os que oprimem e excluem, essa grande salvação vem como a ruptura de um mundo em que todos conhecem o seu lugar.

10. Qual é o princípio bíblico sobre a exclusão social? Atos 10:28; 17:26; Col. 3:11; I João 2:2.

Dizem que nos relacionamentos os opostos se atraem. As histórias de Nicodemos e da mulher samaritana retratam esses dois em total contraste um com o outro. Nicodemos era um homem, a samaritana era mulher. Ele era judeu, nada menos que um fariseu, e ela era uma humilde samaritana. Ele veio de noite; ela veio ao meio-dia. Ele era rico (João 19:39); ela era pobre (caso contrário, ela não teria ido buscar sua própria água no calor do dia). Ele era altamente educado ("o" mestre de Israel [João 3:10]); ela, como as mulheres da Palestina no primeiro século, provavelmente era analfabeta. Ele era piedoso (um fariseu), ela era adúltera. Ele era altamente respeitado; ela era (provavelmente) menosprezada e rejeitada, até mesmo pelas próprias vizinhas samaritanas. Ele tinha um grande nome, conhecido pelos antigos escritos fora da Bíblia; ela era anônima. Ele vivia na cidade santa, Jerusalém; ela vivia em Sicar, uma localização difícil de determinar. O Nelson’s Bible Dictionary diz que o significado é desconhecido; a maioria dos outros Dicionários Bíblicos nem tenta definir o nome. Ele era aberto para crer mas lento para aceitar; ela era suspeitosa a princípio mas rápida para abraçar Jesus quando percebeu quem Ele era.

Nestas duas histórias, vemos uma parábola viva de João 3:16. Deus enviou Seu Filho para que todos os que nEle crerem tenham a vida eterna. Nestes dois indivíduos vemos os extremos opostos. Não importa quem seja você, sua situação na vida ou condição pecaminosa, você é bem-vindo para recebê-Lo. Ele é verdadeiramente o "Salvador do mundo" (João 4:42). Veja a citação na lição de sexta-feira.


Sexta

Ano Bíblico: Êxo. 18–20

ESTUDO ADICIONAL

"Jesus começara a derribar a parede de separação entre os judeus e os gentios, e a pregar salvação a todo o mundo. Conquanto judeu, misturava-Se sem restrições com os samaritanos, anulando os costumes farisaicos de Sua nação. Apesar de seus preconceitos, aceitou a hospitalidade desse povo desprezado. Dormiu sob seu teto, comeu com eles à mesa – partilhando do alimento preparado e servido por suas mãos – ensinou em suas ruas, e tratou-os com a máxima bondade e cortesia. ...

"Os que se chamam Seus seguidores podem desprezar e evitar os párias da sociedade; circunstância alguma de nascimento ou nacionalidade, porém, nenhuma condição de vida, pode desviar Seu amor dos filhos dos homens. A toda alma, embora pecadora, Jesus diz: Se Me pedisses, Eu te daria água viva.

"O convite evangélico não deve ser amesquinhado e apresentado apenas a uns poucos escolhidos, que, supomos, nos farão honra caso o aceitem. A mensagem deve ser dada a todos."O Desejado de Todas as Nações, págs. 193 e 194.

RESUMO: O penetrante olhar de Jesus muda tudo. Pessoas seguras de si mesmas ficam incertas. Os menosprezados encontram nova vida. Igrejas confortáveis aprendem a evitar a atitude de indiferença para com os destituídos. O Espírito assopra onde Lhe apraz. Então, não deve nos surpreender que quando os cristãos se tornarem mais semelhantes a Jesus, as coisas também deverão mudar. Como aconteceu também a Jesus, essa "sacudidura" não será saudada em todos os lugares com alegria. Tanto dentro como fora da igreja, muitos preferem a confortável segurança de uma vida que não é perturbada pelo vento inoportuno do Espírito. Esses se opõem à liberdade do Espírito com todas as fibras do ser.


COMENTÁRIO CPB

COMENTÁRIO Prof SIKBERTO

LIÇÃO dos JOVENS

LIÇÃO E COMENTÁRIO em ESPANHOL

RETORNAR